domingo, 13 de setembro de 2009

Diário da Viagem - Indaial

Saímos de Blumenau às 12:25 desse sábado. O destino? Indaial, para acompanhar a Divisão de Acesso do Campeonato Catarinense, a terceira divisão.

O tempo estava chuvoso, frio. O típico dia pra ficar em casa dormindo, ou fazendo absolutamente nada. Mas não, o espírito do futebol alternativo falou mais alto.
Chegamos a Indaial e fomos almoçar. Ganhamos de presente um mapa até o Estádio Jorge Hardt, onde seria o jogo.
Ao chegar lá, conhecemos João Luís, jogador do BEC na década de 1980. Como havíamos chegado antes do previsto, conversamos com ele sobre o Maga (um compacto da conversa estará no vídeo da viagem). Ele nos contou, por exemplo, que o clube é formato única e exclusivamente por atletas jovens da região. Falou também da parceria do clube com o Internacional (Genoma Colorado) e nos deu certeza do Maga em campo em 2010, mesmo com os resultados desse ano.
O interessante da conversa foi saber que o clube tem um projeto a médio-longo prazo ambicioso. Não desistirá da competição e melhor, disputará no ano que vem a Divisão de Acesso sim, queimando a língua de muita gente que sequer imaginava que ele iria terminar essa competição.

Terminada a conversa entramos em campo. Ao chegar nas cabines de imprensa demos de cara com Alexandre Pandóssio, campeão do Brasil em 1991 pelo Criciúma. Prancheta e caneta em mãos para mais uma conversa sobre o "desconhecido" Maga. Pandóssio está há seis meses em Indaial e disse que abraçou o projeto da Associação. "Se daqui não sair um jogador profissional de futebol, pode ter certeza que sairá um ser humano", disse Alexandre.
O treinador também disse que o Maga precisa ser conhecido. Muita gente da cidade sequer imagina a existência de outro clube profissional que não seja o XV de Outubro. Um reflexo disso foi o público no jogo. Pouco mais de 30 pessoas acompanharam a derrota do clube indaialense por 8x1.

Acompanhamos a corrente dos jogadores antes da entrada em campo e ganhamos de quebra um lugarzinho nas cabines de imprensa. Só isso já estava valendo por toda a viagem.
Para finalizar, numa conversa com Lúcio, um dos responsáveis pelo Maga, a curiosidade falou mais alto: "Por que esse nome?" foi a pergunta feita, seguida de risos. A resposta foi um tanto quanto alternativa:

"Foi uma homenagem ao pessoal do escritório de Mônaco do Maga: rio e Gabriel"...

3 comentários:

  1. Parabéns Guto. Excelente Post. Tá corrido demais pra mim hoje. A noite tento postar ok?

    ResponderExcluir
  2. Putz...esqueci de parabenizar o Richard. Valeu Richard. Vamos nessa.

    ResponderExcluir
  3. Rafael Roberto Fritz15 de setembro de 2009 15:54

    Parabéns pela cobertura séria, que a dupla do blog, fez do jogo. Tirando alguns que acha engraçado ficar falando mal, o futebol catarinense merece respeito.

    Abraços a todos e voltem sempre.

    ResponderExcluir